Colesterol bom e ruim: aprenda a diferenciá-los de uma vez

18/08/2017 | | publicado por

Colesterol bom e ruim: aprenda a diferenciá-los de uma vez

Há diferença entre o colesterol bom e ruim e são poucas as pessoas que se preocupam em entender qual é ela. Geralmente, os esforços nesse sentido estão mais concentrados em não permitir que a taxa de colesterol ruim (LDL) se eleve, devido aos malefícios que isso pode gerar para o organismo. Por vezes, dá-se pouca importância ao cuidado em saber como manter o colesterol bom (HDL) no nível recomendado e benéfico para a saúde.

É um cenário que precisa ser modificado para garantir o bem-estar do corpo. E que só pode ser mudado se a diferença entre o colesterol bom e ruim estiver clara e for conhecida por todos. Uma forma de iniciar essa compreensão é entendendo o que é cada um.

O colesterol bom é o que protege uma pessoa da possibilidade de sofrer um infarto. Porém, ele só é efetivo se as miligramas por decilitro (mg/dl) existentes no sangue for superior a 40. Caso contrário, há maior chance de uma doença cardiovascular se instalar no organismo.

Sem o HDL, não há como o colesterol ruim ser, mais uma vez, transportado até o fígado para ser metabolizado e não causar danos. Não há motivo para se preocupar se o LDL estiver abaixo de 130 mg/dl. O sinal de alerta deve soar caso esse número ultrapasse os 160 mg/dl. Esse índice significa que existe uma grande probabilidade de alguma doença cardíaca surgir.

Entenda a diferença entre o colesterol bom e ruim

Somente pela curta definição do que é cada colesterol já é possível compreender, em parte, a diferença entre colesterol bom e ruim. Ou seja, percebe-se que eles têm funções bem distintas no organismo. Em resumo, a do HDL é remover o LDL das artérias, evitando, assim, que haja acúmulo de gordura nos vasos e o fluxo sanguíneo seja comprometido por isso.

Em um organismo considerado saudável, o colesterol bom se sobressai ao ruim. Mas há casos em que pode ocorrer um descompasso, mesmo que a concentração de HDL esteja adequada. Há essa desarmonia quando o corpo não consegue, por si só, livrar-se das gorduras como deve.

Essas nuances podem ser facilmente percebidas quando é feito o acompanhamento do estado geral de saúde com um cardiologista periodicamente. Nas consultas para check-up, o especialista pode recomendar alguns cuidados que podem fazer toda a diferença na manutenção de uma boa saúde e, provavelmente, incluem:

  • a prática diária de alguma atividade física;
  • parar de fumar;
  • controlar o peso;
  • reduzir o consumo de açúcar;
  • evitar frituras;
  • acrescentar frutas, legumes, verduras, grãos integrais e fibras às refeições;
  • diminuir o estresse.