Exames do coração: quais são os mais recomendados e quando fazer

07/12/2017 | | publicado por

Exames do coração: quais são os mais recomendados e quando fazer

A maioria das pessoas deixa para ir ao cardiologista e realizar os exames do coração somente quando há indicação médica. Poucas pessoas planejam a ida ao especialista para verificar a saúde cardiovascular de maneira preventiva.

Mudar essa conduta pode fazer muito bem à saúde. Além disso, quando os check-ups iniciam na adolescência, conforme o recomendado, há maiores chances de as visitas periódicas ao cardiologista tornarem-se um hábito. Sem contar que o receio em realizar os exames do coração ou de que algo esteja, de fato, afetando a saúde deixa de existir, já que a atenção está voltada para a prevenção.

As orientações médicas também colaboram para a adoção de um estilo de vida mais saudável, que beneficia muito a saúde do coração. As principais recomendações são:

  • ter uma alimentação balanceada;
  • praticar atividades físicas regularmente;
  • consumir moderadamente bebidas com teor alcoólico;
  • não fumar.

A pessoa que segue essas quatro recomendações está prevenindo as doenças coronarianas e diminuindo a possibilidade de que a saúde seja afetada pelos maus hábitos de vida. Mesmo quem possui predisposição para desenvolvê-las, diminui o risco de a saúde ser prejudicada por qualquer uma das patologias que podem prejudicar o coração ao seguir as indicações do cardiologista.

Exames do coração que você precisa fazer

Na consulta cardiológica, o especialista pode solicitar a realização de um eletrocardiograma e de exames de sangue laboratoriais. O eletrocardiograma é feito para avaliar a existência de arritmias cardíacas, infarto do miocárdio ou bloqueios do sistema de condução cardíaco. Já os exames de sangue tem como propósito analisar o índice glicêmico, o colesterol, os triglicérides, a função renal, os eletrólitos e o ácido úrico.

Às pessoas que planejam ou demonstram interesse em praticar uma atividade física, o cardiologista pode requerer a realização de um teste ergométrico. Esse tipo de teste é importante para avaliar a capacidade física de um indivíduo e também ajuda a definir o exercício mais adequado para cada pessoa.

Nos casos em que há desconfiança de que as estruturas cardíacas possam estar alteradas, um exame a ser realizado, geralmente, é o ecocardiograma transtorácico com doppler colorido. Ele também é feito quando existe a suspeita de que o paciente possui insuficiência cardíaca, deseja-se investigar o motivo pelo qual pode haver dificuldade de respirar (dispneia) ou avaliar uma condição chamada sopro, que ocorre devido a uma deformidade no coração.

O sopro também pode acometer as artérias. Dos exames do coração disponíveis para confirmar o diagnóstico, o mais recomendado para esses casos é o ultrassom de carótidas com doppler. É o mesmo procedimento usado para detectar placas de colesterol nos vasos.

Em pacientes que demonstram ter pressão alta, há dois exames que podem ser solicitados pelo cardiologista. O primeiro chama-se Medida Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA)  e o segundo, Holter de 24 horas. Enquanto um é usado no tratamento anti-hipertensivo, o outro identifica arritmias, palpitações e investiga o motivo de tonturas e desmaios.

Não é preciso fazer todos os exames do coração cada vez que uma consulta com um cardiologista está marcada. O importante é não deixar de realizá-los, mesmo que, em um primeiro momento, pareçam desnecessários. É sempre melhor ter certeza de que tudo vai bem com a saúde.

Guia do coração: cuidado e prevenção

Material Educativo

Guia do coração: cuidado e prevenção

Baixar