O que é eletrocardiograma?

24/05/2018 | | publicado por

O que é eletrocardiograma?

Sempre que uma pessoa vai a uma consulta com um cardiologista pela primeira vez ou depois de um período muito longo sem fazer uma nova consulta, o médico pede ao paciente que faça um exame. Você sabe o que é eletrocardiograma? É o que permite ao especialista em cardiologia avaliar os batimentos cardíacos de uma pessoa.É importante realizá-lo!

Também chamado de ECG ou de eletro, o eletrocardiograma consegue medir a atividade elétrica do coração. Para que ele possa ser feito, a pessoa precisa estar em repouso. É muito comum ele ser recomendado em check-ups rotineiros. Por isso, às vezes é preciso realizá-lo mais de uma vez.

A principal razão pela qual cardiologista faz o eletrocardiograma durante a consulta ou solicita que o paciente se submeta a ele e depois retorne ao consultório com o resultado, é para observar se a condução elétrica feita pelo coração possui alguma falha. Com isso, ele consegue detectar bloqueios ou a falta de movimentação do músculo cardíaco. Essas duas condições podem ser consequência de algum problema cardíaco.

O que é eletrocardiograma e o que ele detecta

As arritmias, taquicardias e bradicardias são as condições que o eletrocardiograma mais detecta. Porém, ele não poder ser considerado um exame diagnóstico definitivo. Na verdade, é apenas o início da investigação de qualquer doença cardíaca que possa afetar a saúde. São necessários outros exames para que seja confirmada qualquer tipo de suspeita.

Ou seja, o ECG é o exame de triagem. Caso nada nele apresente alteração, o médico libera o paciente, após orientá-lo sobre os cuidados importantes para continuar a ter uma vida saudável.

Para entender o que é eletrocardiograma, é preciso saber como ele é feito. O exame é simples e não exige qualquer preparo antecipado. Basta chegar para a consulta ou para o exame na hora agendada.

No momento de realizar o exame, o paciente é orientado a deitar em uma maca, de barriga para cima. Usar uma blusa com abertura frontal facilita a realização do exame, pois é necessário colocar os eletrodos em contato com a pele da região peitoral para a melhor detecção dos impulsos elétricos de diferentes áreas do coração. É preciso que a pele esteja limpa, portanto, uma orientação é não usar cremes hidratantes antes de se submeter ao eletro.

A movimentação interna, captada pelos eletrodos, que devem estar bem fixados na pele, é enviada ao eletrocardiógrafo, que registra tudo em forma de gráficos. É um procedimento indolor, não invasivo, de rápida duração, e de fundamental importância na avaliação cardiológica.