Riscos do estresse para o organismo: conheça os principais!

Por: - Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132
Publicado em 09/12/2020

Riscos do estresse para o organismo: conheça os principais!

Antes de sair de casa, você precisa ficar lembrando onde está a chave do carro? É comum considerarmos como normais as pequenas falhas na memória que ocorrem no dia a dia. Por outro lado, a repetição desse padrão já pode ser uma consequência dos riscos do estresse e você nem sabe. Portanto, preste atenção!

O estresse, que pode prejudicar gravemente a saúde, manifesta-se aos poucos.

Começa com uma tensão muscular e um estado de alerta maior, em função da adrenalina que é liberada no organismo pelas glândulas suprarrenais.

Depois, surge a sensação de cansaço, apesar de a noite de sono ter sido boa, além de pequenos esquecimentos.

Próximo a realmente prejudicar o organismo, o estresse pode causar irritabilidade, gastrite, oscilação da pressão arterial, alteração da glicemia, queda de cabelo, ansiedade e depressão. Nos casos mais graves, a pessoa pode ter um infarto, um acidente vascular cerebral (AVC) e, até mesmo, desenvolver um câncer.

É preciso conhecer os sinais e os alertas que o corpo dá para evitar que as consequências do estresse para o organismo se tornem irreversíveis.

Neste artigo falaremos sobre os 5 principais riscos do estresse para o organismo e quais as consequências disso para a saúde geral do corpo. Confira!

Conheça 5 das consequências do estresse para o organismo

O estresse é caracterizado por uma reação natural do organismo perante os riscos iminentes e medos naturais. Porém, excesso de trabalho, tensão extrema e nervosismo podem causar períodos de estresse fora da hora adequada.

Isso acaba causando diversos problemas no corpo humano de forma geral, trazendo perda de qualidade de vida e maiores riscos de doenças cardiovasculares.

Entenda quais são os principais riscos do estresse:

Hipertensão

Nas situações estressantes, as glândulas suprarrenais liberam adrenalina, um hormônio que prepara o corpo para enfrentar grandes desafios. A circulação dela pelo corpo por um tempo prolongado estimula o coração a aumentar o ritmo cardíaco e eleva a pressão arterial.

A hipertensão é fator de risco para diversas doenças cardiovasculares, como angina, infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

Transtornos mentais

O estresse crônico pode agravar problemas como crises de ansiedade, síndrome do pânico, depressão ou esquizofrenia em pessoas que possuem predisposição para desenvolver algum desses distúrbios psiquiátricos.

Insônia

A ausência de sono ou a dificuldade para descansar à noite da maneira que o corpo precisa é a primeira alteração provocada por quem está estressado. A resistência para dormir é causada pelo excesso de cortisol no organismo.

O hormônio é liberado pelas glândulas suprarrenais para que o corpo permaneça em estado de alerta e possa ter uma resposta rápida a alguma emergência.  Outro efeito do cortisol é o aumento da pressão arterial.

Imunidade baixa

O cortisol também é o responsável pela diminuição das defesas do organismo. A constante circulação do hormônio pelo corpo faz com que as células que deveriam agir como barreira à entrada de substâncias estranhas no organismo tenham as suas funções alteradas.

Problemas digestivos

Dentro dos riscos do estresse para o organismo, estão os distúrbios gástricos. Os observados com maior frequência em pessoas estressadas são a acidez e as dores no abdômen. Mas também podem ocorrer gastrite, diarreia, refluxo, colites, etc.

Todos esses problemas relacionados ao estresse podem ser superados quando há preocupação com a saúde e não há demora em buscar ajuda médica. Dessa forma, diminui-se a chance de agravamento dos sintomas para doenças mais difíceis de serem tratadas.

Combater o estresse é essencial

Como você pôde ver, o estresse é uma doença multissistêmica responsável por trazer ônus desde a mente até a saúde de funções essenciais para a vida.

Dessa forma, combater esse problema que atinge cerca de 90% das pessoas do planeta é mais do que urgente: é uma prática ideal para ter uma vida mais longa, plena e com menos doenças.

Mas como combater o mal do século? Confira nossas dicas:

Exercite-se: as atividades físicas aumentam a liberação de endorfina, um importante hormônio que combate o estresse.

Defina limites: saber dizer “não” às vezes pode salvar sua saúde. Sobrecarregar-se com muitas tarefas acima do normal pode piorar seu estresse.

Reserve mais tempo para você fazer o que gosta:  divertir-se, passear ou até mesmo ler um bom livro. Essas pequenas tarefas prazerosas tornam a vida mais leve.

Exponha seus sentimentos: falar com pessoas confiáveis sobre seus sentimentos, medos e impaciência pode ajudar a voltar ao seu estado mais tranquilo.

Alimente-se corretamente: a qualidade da alimentação e a forma como você se alimenta faz muita diferença tanto na sua saúde corporal como na mental.

Prefira alimentos que não sejam processados: opte pelas comidas que sejam naturais, saudáveis e que o sustentem adequadamente para você aguentar a carga do dia. Alimentos ricos em fibras e vitaminas, e a água serão seus melhores aliados na luta contra o estresse. Prefira eles!

Agora que você já conhece os riscos do estresse e quais hábitos ajudam a combatê-lo, repense sua rotina e procure ajuda de um especialista se tiver dificuldade com algum deles!

Aproveite para ficar por dentro de todas as novidades, seguindo-nos no Instagram e curtindo nossa página no Facebook.

Material escrito por:
Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132

Diretor técnico da Unicardio, o Dr. Harry Correa Filho é formado em medicina pela UFSC e especialista em cardiologia pelo Instituto de Cardiologia de Santa Catarina, onde já foi diretor. É professor de cardiologia na Unisul e Pesquisador de estudos clínicos, como EMERAS, ISIS 4, PARAGON, PLATO e TRILOGY.

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

    Guia do coração: cuidado e prevenção

    Material Educativo

    Guia do coração: cuidado e prevenção

    Baixar