Ultrassom com doppler: para que serve e quando fazer

Por: - Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132
Publicado em 21/03/2021

Ultrassom com doppler: para que serve e quando fazer

O ultrassom com doppler é um exame muito utilizado em diferentes especialidades para fazer o diagnóstico e o acompanhamento de doenças, assim como para se certificar que está tudo certo, como é o caso do doppler de carótidas, tireoide ou abdome total (vamos usar exemplos da realidade da clínica. pré-natal não dá né…).

Por não ser danoso para o corpo, o exame serve como prevenção para pacientes com predisposição para o desenvolvimento de patologias.

Para que você saiba mais sobre ele e tire todas as suas dúvidas, criamos este conteúdo. Nele, você aprenderá o que é esse exame, como ele funciona e quando indica-se realizá-lo.

O que é o ultrassom com doppler e como ele funciona?

Por ser um exame que permite analisar todas as estruturas do corpo em movimento, o ultrassom com doppler serve para avaliar o fluxo sanguíneo. Ele é um tipo de ultrassonografia que é bastante importante para diferentes áreas da Medicina, como pelo nefrologista, profissional especializado no rim, endocrinologistas e cardiologistas, por exemplo.

O seu nome tem origem de um físico, o Johann Christian Andreas Doppler, que descobriu que há uma diferença entre a frequência das ondas que são percebidas por um observador de acordo com a sua posição, ou seja, se ele está próximo ou longe da fonte. Compreende-se esse fenômeno por meio da sirene de uma ambulância que quando se aproxima, tem um som diferente do que quando ela está se afastando.

Assim como todas as ultrassonografias, o aparelho utilizado para o exame emite ondas sonoras que navegam pelo nosso corpo e são devolvidas toda vez que encontram alguma barreira, como uma hemácia. Essa devolução da onda gera um eco e, por meio de um sistema, são transformadas em imagens da área em análise.

Como o exame é feito?

O ultrassom com doppler é consideravelmente simples e rápido, durando, em média, entre 15 e 30 minutos. O paciente não necessita de preparo anterior ao exame, não havendo necessidade de jejum ou exclusão de consumo de determinada substância. Mas essa orientação pode ser contrária em exames que visam analisar a região abdominal ou peitoral.

Após chegar na clínica, o paciente deita na maca e o profissional segura contra a sua pele o dispositivo que emite ondas que são transmitidas para um monitor, o qual guia o médico durante o exame e possibilita imagens em tempo real.

Ao contrário de alguns exames de imagem, como o raio-x ou a tomografia, o ultrassom com doppler não emite radiação e é indolor, não havendo, também, contraindicações.

Como o ultrassom com doppler mudou a Medicina?

O principal diferencial do ultrassom com doppler é que ele possibilita a investigação de diferentes funcionalidades do corpo, permitindo a visualização mais detalhada dos tecidos, estruturas e do fluxo sanguíneo, assim como das veias e artérias de maneira muito mais precisa.

Ainda em relação ao fluxo sanguíneo, o exame conta com uma coloração, permitindo haver a diferenciação entre o sentido do fluxo sanguíneo. Outro grande diferencial é que ele faz tudo isso de forma simples e completamente indolor para o paciente. Por todas essas razões, ele se popularizou e, atualmente, é essencial para o diagnóstico e tratamento clínico de diferentes patologias.

Quando indica-se a realização do ultrassom com doppler?

Diferentes especialidades utilizam o exame para diferentes diagnósticos. Em se tratando da cardiologia, medicina vascular e endocrinologia, o seu uso mais comum, é:

  • Identificar aneurismas ou dilatações nos vasos sanguíneos;
  • Identificar estreitamentos ou oclusões nas veias e artérias;
  • Avaliar o fluxo sanguíneo de artérias e veias;
  • Diagnosticar varizes, tromboses venosas ou arteriais;
  • Medir o fluxo sanguíneo da mãe para o feto, durante a gestação;
  • Avaliar a recuperação do órgão, após transplantes; e
  • Analisar a saúde dos órgãos internos.

Recomenda-se a realização do ultrassom com doppler, normalmente, de duas formas:

Preventiva

O médico pode pedir um ultrassom com doppler para verificar se está tudo bem, e proceder com diagnóstico adequado ao paciente. Isso acontece, especialmente, em casos de pacientes que contam com predisposição genética para o desenvolvimento de doenças, como no caso da trombose ou de outras patologias cardiovasculares.

Pelo fato de ele não ter nenhuma consequência a longo prazo para os pacientes, utiliza-se amplamente o ultrassom com doppler para a prevenção.

Apoio no tratamento clínico

Outra utilização do ultrassom com doppler é no acompanhamento e apoio dos tratamentos médicos para analisar se há um avanço ou regressão dos casos após medicação ou cirurgia. Nesse último caso, ainda pode avaliar a recuperação dos tecidos e cicatrização interna, caso seja necessário.

Faça seu exame na Unicardio

Nós buscamos sempre oferecer mais praticidade e auxiliar você em todos os procedimentos da sua saúde, por isso, contamos com médicos que são especializados em ultrassonografia para atender os exames requeridos pelos cardiologistas e endocrinologistas. Assim, a nossa equipe interdisciplinar age a serviço do coração, possibilitando diagnósticos mais rápidos e completos para todos os nossos pacientes.

Se você ainda tem dúvidas ou deseja realizar o seu ultrassom com doppler conosco, basta agendar uma consulta individual com um de nossos especialistas. Esse processo pode ser feito de forma completamente online. Esperamos você!

Material escrito por:
Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132

Diretor técnico da Unicardio, o Dr. Harry Correa Filho é formado em medicina pela UFSC e especialista em cardiologia pelo Instituto de Cardiologia de Santa Catarina, onde já foi diretor. É professor de cardiologia na Unisul e Pesquisador de estudos clínicos, como EMERAS, ISIS 4, PARAGON, PLATO e TRILOGY.

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.