Dr. Harry explica relação entre as doenças cardíacas e a Covid-19

Por: - Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132
Publicado em 22/05/2020

Dr. Harry explica relação entre as doenças cardíacas e a Covid-19

A Covid-19 (popularmente conhecida como Coronavírus) já foi declarada como pandemia global pela Organização Mundial da Saúde em março deste ano. Desde então, tem-se discutido muito sobre os potenciais grupos de risco que incluem pacientes com doenças cardíacas. 

Mas será que eles estão mais propensos a contrair a doença? E quais serão os riscos que os pacientes cardíacos correm ao contrair o coronavírus? Abordamos esses e outros temas na live com o Dr. Harry Correa Filho, cardiologista da Unicardio. Continue a leitura para conferir os temas mais importantes tratados na entrevista e entenda a relação entre a Covid-19 e as doenças cardíacas. 

Você também pode conferir a entrevista completa no Facebook e no YouTube da Unicardio. 

Sou cardiopata. Posso contrair o coronavírus?

“Sim, mas não pela condição de cardiopata! Todos estamos sujeitos a contrair a doença, pois não possuímos imunidade contra o SARS-Cov-2 (vírus causador da Covid-19)”. 

Recentemente, uma pesquisa mostrou que pacientes testados positivos pela Covid-19 em Nova York desenvolveram anticorpos que podem ajudar no combate à reinfecção. Farmacêuticas também têm informado o desenvolvimento de anticorpos, e as pesquisas de vacinas seguem avançando. 

Mas nenhum desses dados pode ser confirmado até o momento, pois todas as pesquisas e estudos são muito recentes e preliminares. A própria Organização Mundial da Saúde afirma que a maioria da população mundial não tem anticorpos contra o SARS-Cov-2 e segue em situação de suscetibilidade. 

Mas possuir uma cardiopatia não aponta uma maior suscetibilidade à infecção. O que ela aponta é um possível agravamento das doenças cardíacas e do quadro de infecção pelo coronavírus.

Como a Covid-19 pode prejudicar doenças cardíacas?

A Covid-19 pode causar síndromes respiratórias graves e provocar complicações no quadro de doenças cardiovasculares de duas formas.

A primeira é um efeito direto do vírus sobre a estrutura do músculo cardíaco (uma inflamação desse músculo) e, consequentemente, um comprometimento do funcionamento normal do músculo que pode variar em grau. Já a segunda forma é um processo indireto que intensifica o processo inflamatório das paredes dos vasos cardíacos.

Essas condições não são tão comuns, mas podem levar a situações que simulam um infarto agudo do miocárdio (popularmente conhecido como ataque cardíaco) e a angina (aquela dor e pressão no peito causada pelo estreitamento das artérias que levam sangue ao coração).

Mas não se engane. Nem todo quadro de doenças cardíacas representa grande risco frente à Covid-19. Tudo depende do grau de acometimento de cada paciente. Acometimentos leves podem representar um risco discreto, enquanto os mais graves podem representar riscos maiores, mas tudo isso só pode ser diagnosticado por seu cardiologista.

Não interrompa seu tratamento

Por mais que a vida ao nosso redor pareça estar mais lenta, você não deve parar o tratamento indicado pelo cardiologista. “Tudo o que você fazia em relação ao seu tratamento antes da pandemia deve continuar acontecendo normalmente”, salienta Dr. Harry. 

Por isso, continue tomando a medicação recomendada pelo seu cardiologista e fazendo todos os exames solicitados. Parar agora, por medo da pandemia, pode representar um agravamento da sua situação. Hospitais, clínicas e farmácias continuam atendendo normalmente para que você possa continuar seus tratamentos médicos.

Se o(a) médico(a) lhe recomendou a prática de atividades físicas, siga a recomendação. Você pode fazê-las ao ar livre se tomar todas as medidas preventivas recomendadas pela OMS e pelo Ministério da Saúde e se evitar locais de aglomeração.

Na impossibilidade de sair ou se prefere ficar em casa durante esse período, você pode praticar atividades internas mesmo. Atualmente, há diversos profissionais na internet auxiliando as pessoas a se exercitar em casa. Mas lembre-se de sempre seguir a orientação médica sobre o nível de atividade física que você pode fazer.

Mantenha-se saudável e não se automedique

Muitas pessoas estão isoladas em suas casas neste momento, mas outras, que trabalham em serviços essenciais, seguem trabalhando normalmente. Se você faz parte do grupo que está em casa, aproveite esse tempo para investir em uma alimentação mais saudável, passar mais tempo com a família e fazer seus exercícios.

Se faz parte do grupo que precisa seguir trabalhando normalmente, tome todas as medidas preventivas e procure manter-se o mais saudável possível. Lembre que exercícios físicos funcionam como “pílulas de saúde”. Nosso organismo funciona muito melhor quando exercitado e tende a ter uma maior proteção natural.

E em nenhum caso se automedique! Não use medicamentos que não forem prescritos por um(a) médico(a). Muito se tem discutido na mídia sobre algumas medicações, mas elas não têm comprovação científica de resultados até o momento para o combate ao SARS-Cov-2. E, além disso, os perigos da automedicação podem levar até mesmo ao agravamento da doença. 

Por isso, o recomendado é que você sempre busque auxílio médico, seja para tratar a doença cardiovascular, seja para os sintomas de uma infecção respiratória. 

Unicardio moderniza-se para manter consultas e exames

A Unicardio está preparada para atender aos pacientes que precisam:

  • dar continuidade ao tratamento de doenças cardiovasculares;
  • de consultas preventivas com cardiologista e endocrinologista ou
  • fazer eletrocardiograma, ecocardiograma, ultrassonografia e outros exames do coração.

Para isso, a clínica está seguindo todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde, para atender seus pacientes com total segurança e qualidade. 

Além do atendimento presencial, há ainda a possibilidade de fazer consulta online, através da telemedicina – regulamentado e autorizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério Saúde. Entre em contato com a clínica para saber qual tipo de consulta é mais adequado para o seu caso, neste momento. 

Mas lembre-se: a Unicardio só realiza atendimentos de cardiologistas e endocrinologistas Pacientes com sintomas de infecção respiratória não são atendidos, para evitar a disseminação do vírus e garantir a segurança de todos. 

Se você tem suspeita de Covid-19 busque atendimento do Alô Saúde Floripa no telefone 0800-333-3233 ou no telefone da Secretaria de Saúde da sua cidade. 

Para os sintomas de doenças cardiovasculares e continuação de tratamento já em curso, não hesite em procurar atendimento especializado. 

Agende sua consulta presencial ou on-line na Unicardio pelo formulário do nosso site, pelo telefone (48) 3031-2300 ou pelo WhatsApp

Assista à entrevista na íntegra:

Material escrito por:
Médico Cardiologista - CRM/SC 4101 RQE 1132

Diretor técnico da Unicardio, o Dr. Harry Correa Filho é formado em medicina pela UFSC e especialista em cardiologia pelo Instituto de Cardiologia de Santa Catarina, onde já foi diretor. É professor de cardiologia na Unisul e Pesquisador de estudos clínicos, como EMERAS, ISIS 4, PARAGON, PLATO e TRILOGY.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.