Como é feito o tratamento de insuficiência cardíaca?

Por: - Médico Cardiologista - CRM/SC 6716 RQE 2959
Publicado em 10/01/2023 - Atualizado 20/12/2022

Como é feito o tratamento de insuficiência cardíaca?

Você já se perguntou como é feito o tratamento de insuficiência cardíaca? Essa síndrome se caracteriza como a dificuldade do coração em bombear o sangue. Apesar de grave, há formas de amenizar os incômodos, controlar o problema e viver de maneira plena, mesmo quando o órgão está um pouco mais fraco do que o normal.

Precisamos ressaltar que essa fraqueza prejudica todo o organismo, pois não ocorre o envio da quantidade adequada de sangue e, consequentemente, oxigênio e nutrientes. O coração também sofre, pois ele precisa receber o líquido de volta, após a circulação no corpo.

De acordo com um estudo publicado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de dois milhões de brasileiros vivem com esse problema. Por ano, surgem aproximadamente 240 mil novos casos.

Você vive com essa condição ou conhece alguém que a possui? Confira esse material que preparamos com as informações mais relevantes sobre a insuficiência cardíaca, inclusive os tratamentos.

Os tipos de insuficiência cardíaca

Antes de tudo, vale saber que existem dois tipos de insuficiência cardíaca. A primeira condição é a sistólica, quando o coração não consegue contrair de forma correta para bombear o sangue ao corpo.

Já na diastólica, o órgão fica com os músculos rígidos e não é capaz de se encher com o sangue que volta das outras partes do organismo.

Conheça as causas para entender o tratamento de insuficiência cardíaca

São vários os problemas que podem levar o coração à insuficiência cardíaca. Diabetes e hipertensão, por exemplo, sobrecarregam as estruturas cardíacas e fazem com que o funcionamento fique prejudicado.

Outros fatores também podem desencadeá-la: doenças que afetam as válvulas do órgão; enfermidades autoimunes; infecções; inflamação no músculo cardíaco (miocardite); alcoolismo; Doença de Chagas; intoxicação por medicamentos; e sequelas de infarto.

Como deu para perceber, podem existir várias condições por trás da síndrome e diagnosticar a causa é fundamental para definir o tratamento de insuficiência cardíaca.

Leia também: Mitos e verdades sobre a hipertensão

Atenção aos sintomas

Confira a lista que preparamos com os principais sintomas da insuficiência cardíaca, que requerem atenção:

  • cansaço;

  • suor frio;

  • falta de ar;

  • tonturas;

  • sensação de coração acelerado;

  • tosse;

  • perda de apetite;

  • palidez;

  • inchaço nas pernas, pés e abdômen.

Tudo isso pode estar relacionado ao fato do coração não conseguir com que o sangue chegue às várias partes do corpo.

Como é feito o diagnóstico?

Além de analisar os sintomas relatados pelo paciente, o médico cardiologista solicita determinados exames para diagnosticar a insuficiência cardíaca e obter o apoio no tratamento a ser prescrito. Um desses procedimentos é o ecocardiograma, que é como uma ultrassonografia do coração.

O eletrocardiograma também é importante, pois verifica se os batimentos estão normais, mais acelerados ou fracos. Já um teste de sangue consegue analisar há a presença de determinadas substâncias produzidas quando o coração está doente, como o peptídeo natriurético tipo B.

Aqui, na Unicardio, você pode realizar diversos exames que ajudam na identificação desta e de outras condições que afetam o coração. Também conta com a assistência de uma equipe extremamente capacitada. Em caso de suspeita, agende uma avaliação individualizada.

Leia também: Arritmia cardíaca tem cura?

O tratamento de insuficiência cardíaca

Chegou o grande momento: depois de aprender os detalhes acerca do problema, conheça os tratamentos disponíveis. São três os principais:

Uso de medicamentos

A forma menos invasiva de tratamento de insuficiência cardíaca é por alguns medicamentos que ajudam o órgão a voltar a funcionar de forma correta. Caso você seja um paciente, poderá escutar alguns desses nomes: betabloqueadores, antagonistas do sistema renina-angiostensina-aldosterona, inibidor da neprilisina e antagonistas mineralcorticoides.

O importante é conversar com o médico para saber o que é recomendado para o seu caso, as doses e os demais cuidados.

Marcapasso

Em situações consideradas mais sérias, o cardiologista pode optar por implantar um marcapasso. Trata-se de um pequeno equipamento, associado ao coração, que o ajuda a bater de maneira uniforme. Com isso, o sangue é melhor bombeado.

Essa medida também pode ser utilizada quando o paciente não apresenta uma boa resposta aos medicamentos. É a chamada “insuficiência cardíaca refratária”.

Transplante para o tratamento da insuficiência cardíaca

Optar por um transplante cardíaco é uma decisão tomada em situação de muita gravidade. Quando o médico percebe que o coração não possui mais condições de trabalhar com nenhuma outra assistência, o paciente é inserido na fila de transplante.

Alguns casos também exigem o uso de um suporte mecânico de circulação, ou seja, uma máquina faz o sangue circular pelo corpo, levando o oxigênio necessário aos outros órgãos, para que eles possam continuar funcionando.

Você tem dúvida sobre o tratamento de insuficiência cardíaca?

Por ser uma síndrome séria, é bom não ficar com nenhuma dúvida sobre o tratamento de insuficiência cardíaca. Ressaltamos que os nossos especialistas estão à disposição para conversar com você e analisar individualmente o seu caso.

Entre em contato pelo nosso site e envie a sua pergunta. Estamos à disposição!

Material escrito por:
Médico Cardiologista - CRM/SC 6716 RQE 2959

Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (1989-1995); Residência em Clínica Médica no Hospital Universitário da Universidade...

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.