Morte súbita em jovens

Por: - Cardiologista - CRM/SC 19016 RQE 14641
Publicado em 02/10/2019

Morte súbita em jovens

Alguns casos na mídia relatam sobre jovens que, durante a prática de uma atividade física, sofreram uma morte súbita. Casos famosos como o do zagueiro Serginho, do São Caetano, em 2004, que sofreu uma parada cardíaca durante um jogo e morreu aos 30 anos, e o caso recente do filho do jogador Cafu que, também aos 30 anos, faleceu durante uma partida de futebol.
Mas por que isso acontece? É o que vamos ver agora.

O que é e como ocorre a morte súbita em jovens?

Geralmente a causa mais comum nos praticantes de atividade física é a Cardiomiopatia Hipertrófica, que causa um espessamento no músculo do coração. Esse espessamento remodela o coração e propicia o surgimento de arritmias malignas, que podem levar a uma parada cardíaca.

Lembre-se: a morte súbita pode acontecer com quem pratica esportes ou não. A Cardiomiopatia Hipertrófica é uma doença hereditária. Se no histórico familiar existe essa doença, é preciso investigar. Se já existe a pré-disposição, a morte súbita pode acontecer durante qualquer atividade, independente do esforço.

Existem sintomas?

Os portadores de Cardiomiopatia Hipertrófica podem relatar palpitações, falta de ar para os esforços ou desmaios (síncopes). Porém, muitos são assintomáticos.

Diagnóstico

O diagnóstico suspeitado com o histórico de morte súbita na família, associado a presença do eletrocardiograma com sobrecarga do ventrículo esquerdo. É confirmado com a realização do ecocardiograma transtorácico.

Infarto em jovens e idosos

O infarto em jovens é muito mais grave do que em idosos, pela ausência da circulação colateral que é uma comunicação desenvolvida ao longo dos anos, entre as 3 principais artérias do coração, com a formação de novos vasos sanguíneos. Isso é importante pois, quando ocorre o infarto, a circulação colateral consegue suprir a área que a artéria principal não está irrigando.

O infarto em idosos está mais relacionado com a aterosclerose (deposição de placas de colesterol nas artérias).
Nos jovens, precisamos pensar em outras causas, como trombose ou uso de drogas ilícitas.

Como prevenir?

É importante fazer acompanhamento de rotina com o cardiologista. Antes de iniciar atividades físicas, é importante agendar uma consulta e realizar exames necessários para avaliar a aptidão do paciente frente ao esforço.
De acordo com o resultado do eletrocardiograma, exame realizado antes da consulta cardiológica, outros exames são solicitados para averiguar melhor a situação do paciente.

> Atletas e pessoas acima dos 35 anos, devem visitar o cardiologista, pelo menos, 1 vez ao ano.
> Atletas de alta performance, podemos indicar esse acompanhamento de 6 em 6 meses.

Sempre lembramos que visitar o cardiologista é também uma forma de prevenção!
Cuide da saúde do seu coração. ❤

Material escrito por:
Cardiologista - CRM/SC 19016 RQE 14641

Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (Conclusão em 2012) Residência médica em Clínica Médica pelo...

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.